• CARDOSO VEÍCULOS

Qual o melhor momento para trocar de carro?


O seu carro está constantemente visitando a oficina? É o melhor momento para trocar o carro? Seus gastos com manutenção no último ano superam 10% do valor do seu veículo? Já está considerando a troca? É um fato que esse momento vai chegar e você terá que se despedir do seu parceiro de estrada. Afinal, em algum momento não haverá como adiar essa decisão, uma vez que começam a surgir algumas despesas com manutenção, reparos na pintura e troca de peças.


Mas, para tomar uma decisão como essa, é preciso levar alguns fatores em consideração e ter a certeza de que é realmente o melhor momento para fazer uma nova compra.

Pensando nisso, resolvemos dar algumas dicas que podem te ajudar nesse momento de várias dúvidas. Confira e boa leitura!


1) Quilometragem


Este é um excelente indicador para ter certeza de que é a hora ideal para trocar ou não de carro, visto que a quilometragem vai apontar o quanto o seu automóvel já foi usado.

Dessa forma, vale lembrar que por volta de 60 mil quilômetros o carro já vai confirmar um desgaste natural em componentes, como a embreagem e a suspensão. Por esse motivo, ele vai passar a exigir manutenção frequentemente.

Contudo, é possível manter um automóvel funcionando de maneira normal, apesar da quilometragem avançada. Isso acontece porque a rotina de cuidados tomados e de uso deve ser levada em conta na problemática.

Então, caso você esteja evitando percursos acidentados, trocando filtros e óleo, e fazendo revisões periódicas no veículo, ele pode estar em bom estado de conservação.


Outro bom momento para trocar o veículo é antes da revisão dos 60 mil quilômetros, quando ela fica mais cara já que itens como  correia dentada, pneus e amortecedores precisam ser trocados. Mas isso não é uma regra absoluta, se bem cuidado durante os anos anteriores, o veículo pode rodar mais apenas com custos básicos de manutenção, como pneus, óleos de freio, motor, etc.


2) Manutenções frequentes


Assim que o carro começa a apresentar muitos problemas, sendo preciso levá-lo de maneira frequente à oficina, é natural pensar que ele deve ser trocado por outro.

Entretanto, é fundamental que se busque uma avaliação de um mecânico de confiança, pois ele fará uma análise e indicará se os motivos dos problemas são em decorrência da falta de revisão ou do desgaste do automóvel.

Carros usados ou novos vão sempre precisar de eventuais gastos e de cuidados. Portanto, antes de correr para fazer a troca, tenha certeza de que a solução não é uma simples troca de peças.


3) Desvalorização do veículo


Outro bom motivo para fazer a troca do seu carro é a sua desvalorização.

O motorista precisa ficar atento e analisar o que está acontecendo no mercado automotivo. A saída de linha ou uma mudança radical no modelo de um veículo podem ser grandes razões para que haja uma desvalorização.

Por isso, se você perceber uma queda no valor do seu automóvel, não hesite em colocá-lo à venda. Quanto mais tempo você deixar passar, mais valor de mercado ele vai perder.

Alguns carros são notórios por terem desvalorização rápida. Então, é preciso levar isso em conta quando for vender e também quando for comprar o novo.

O tempo de uso também determina a garantia do carro. Para não correr o risco de prejuízos, vale a pena realizar a troca de veículo antes do fim da garantia.

Como é difícil trocar de carro com tanta frequência, os especialistas recomendam que ela seja feito após cinco anos de uso para ficar com seu automóvel sem grandes despesas. O motivo disso é que borrachas e plásticos utilizados nas peças dos carros têm uma probabilidade maior de sofrer deformações após cinco anos de uso.


Por outro lado, a recomendação dos cinco anos não vale para veículos de luxo. Carros de luxo possuem índices de depreciação entre 15% e 20% ao ano. Eles também carregam um problema que é o custo de manutenção. Assim, é melhor trocar o carro de luxo a cada 3 anos ou 50 mil km rodados.


4) Condições das peças e motor


Os componentes do carro que são feitos de borracha e de plástico têm vida útil de aproximadamente cinco anos. Depois desse período, eles vão apresentando desgastes que influenciarão em outras peças do automóvel. mangueiras tendem a ressecar conforme o tempo, por exemplo, o que vai comprometer o funcionamento do motor.


Se você for um motorista que não cuida das trocas periódicas de água, aditivo e óleo, pode ter certeza de que, com o tempo, o motor do seu carro vai sentir o impacto de possíveis superaquecimentos. Essa peça, que é o coração do seu automóvel, pode até não fundir.


No entanto, terá o seu funcionamento comprometido, levando-o a gastar, se desejar ter o seu carro novamente. Ou seja, se o seu carro usado tem apresentado vários problemas de superaquecimento, água vazando do radiador e mangueiras arrebentando, não espere o pior acontecer para decidir trocá-lo.


5) Insatisfação com a marca


Não está satisfeito com a marca do seu automóvel? O carro não estão atendendo às suas expectativas? Então, aproveite para colocar um fim nessa relação!

A falta de peças, por exemplo, é um fator que tem desagradado muitos proprietários de certos veículos. Afinal, quem gosta de ficar longo tempo sem o carro para resolver um problema tão pequeno?

Consumo alto, barulhos e falta de potência também são alguns problemas que acabam tirando o prazer de manter o carro na garagem.

Por isso, é fundamental avaliar esses fatores para colocar no papel os prós e contras na hora de pensar em adquirir um novo carro.


6) Novas necessidades


Na maioria das vezes, compramos um automóvel para que ele atenda às nossas necessidades básicas, como ir ao trabalho e voltar para casa diariamente.

No entanto, as necessidades podem sofrer mudanças a todo momento e podemos precisar de um carro para outras situações bastante diferentes, como uso em estradas de terra, viagens em família, entre outras situações.

Por isso, a melhor solução é se desfazer do atual e adquirir um veículo que atenda a essas novas necessidades. Assim, você evita problemas maiores e fica tranquilo com um carro que tem as opções que você precisa no momento.


8. Fim da garantia


As concessionárias e as montadoras, geralmente, oferecem uma garantia para os veículos novos. Tal garantia tende a ser de três a cinco anos.

Dessa forma, após esse tempo você terá que desembolsar recursos para resolver desgastes de fábrica do seu automóvel.

Associado a diversos fatores, como o valor do seguro do seu carro, o aumento dessa despesa pode ser um bom motivo para fazer uma troca e contar com uma nova garantia, concorda?


9. Realização de um sonho


Por fim, você pode optar por trocar o seu carro na hora que tiver a possibilidade de realizar o seu grande sonho, seja de comprar um off-road para fazer trilhas, seja um carro luxuoso para a família.


O que não pode acontecer é deixar de fazer um bom planejamento e traçar as melhores estratégias para adquirir o seu novo carro, certo?


Não se esqueça de que, mesmo que a troca não seja emergencial, você pode deixá-la como uma meta orçamentária.


Para atingir o seu objetivo, é muito importante um planejamento financeiro, uma boa opção é o pagamento avista para fugir das taxas de financiamento ou mesmo uma troca no seu atual carro. Não havendo essas opções, pense em realizar um financiamento. Aproveitar as condições de financiamento com taxas e prazos exclusivos.


Esperamos que, depois dessas dicas, esperamos que possa tomar uma boa decisão de compra.


Está interessado em comprar ou trocar de carro? Já tem um carro novo em vista?


Fala com agente que podemos lhe ajudar. Clique aqui




13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

(11) 4184-3261

©2020 por Cardoso Veículos.